top of page
  • Carolina Torronteguy

Compulsão alimentar: o que é e como tratar?

A compulsão alimentar se caracteriza como uma doença mental, na qual o indivíduo come repetidamente, de maneira impulsiva e descontrolada. Além disso, mesmo após estar satisfeito, ele segue se alimentando.

Pessoas que sofrem com essa doença consomem grandes quantidades de alimentos em um curto espaço de tempo. Após o ato da compulsão, a pessoa fica envergonhada e com um sentimento total de culpa.

Sintomas da compulsão alimentar

A compulsão alimentar pode apresentar diversos sintomas, que podem ser comportamentais ou emocionais. Dentre os principais, podemos destacar:

  • Comer de forma rápida;

  • Ingerir alimentos sem mastigar;

  • Esconder alimentos para consumir quando estiver sozinho;

  • Seguir comendo mesmo já estando satisfeito;

  • Comer sem estar com fome;

  • Sentimento de culpa por comer demais;

  • Sentir-se introspectivo;

  • Baixa autoestima;

  • Ansiedade ou depressão.

Além disso, há casos em que pensamentos suicidas são despertados. Por isso, caso apresente um ou mais sintomas, é essencial buscar ajuda médica o mais rápido possível. Causas Como estamos falando de um transtorno alimentar, as causas não têm uma natureza específica. Cada pessoa pode conciliar inúmeros fatores, sejam eles mentais, biológicos ou sociais, que podem desencadear a compulsão. Dentre os principais fatores, estão:

  • Dieta feita de maneira errada;

  • Estresse;

  • Comer para se sentir bem emocionalmente;

  • Problemas com seu corpo ou aparência;

  • Problemas emocionais graves.

Embora essa compulsão também ocorra entre homens, os casos mais frequentes acontecem entre mulheres e, principalmente, adolescentes. Isso ocorre porque, normalmente, são os grupos mais cobrados em relação ao padrão de beleza e estética, tentando sempre alcançar o “corpo perfeito”.

Tratamento para a compulsão alimentar

O tratamento da doença envolve tanto aspectos físicos como emocionais. Dessa forma, o primeiro passo é realizar uma consulta com um especialista. O paciente deve receber acompanhamento médico, nutricional e psicológico, e em alguns casos será indicado o uso de medicamentos.

É importante frisar que o tratamento não deve se basear apenas ao uso de remédios, pois é extremamente importante que o paciente também trabalhe a parte mental, buscando entender e aumentar sua autoconsciência.

O médico — junto ao paciente — deve compreender os gatilhos de ansiedade apresentados e elaborar métodos de controle. Para os aspectos físicos, é recomendada a prática de exercícios e também de atividades que são voltadas para a atenção, como yoga e meditação, por exemplo. Isso, além de manter o corpo saudável, ajuda a liberar endorfina e no controle de ansiedade.

Como prevenir

É possível prevenir a doença através de métodos simples. Os principais são:

  • Manter um horário regulado para realizar as refeições do dia;

  • Comer a cada 3 horas, evitando intervalos longos sem ingerir alimentos;

  • Evitar comer alimentos industrializados;

  • Ingerir alimentos ricos em fibras;

  • Manter bons hábitos alimentares, evitando alimentos com muitas calorias;

  • Não pular refeições;

  • Beber bastante água;

  • Dormir bem.

Assim, as chances de desenvolver a compulsão alimentar se tornam bastante reduzidas. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

Comentários


Os comentários foram desativados.
bottom of page